quinta-feira, 20 de abril de 2017

Secretaria de Saúde inicia vacinação contra a gripe em Caicó


A secretaria municipal de Saúde participa desde a segunda-feira (17) da campanha nacional de vacinação contra a gripe. A imunização vai até 26 de maio, sendo o dia de mobilização nacional em 13 de maio.
Este ano, a novidade da campanha é a inclusão dos professores da rede pública e privada no público alvo, com direito a receber a imunização gratuitamente no SUS. A contraindicação é para quem tem alergia severa a ovo.
O público alvo da campanha consta de crianças de 6 meses a menores que 5 anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias); Gestantes; Puérperas (mulheres que estão no período de até 45 dias após o parto); Idosos (a partir de 60 anos); Profissionais da saúde; Povos indígenas; Pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional; Portadores de doenças crônicas e outras doenças que comprometam a imunidade; Professores de escolas públicas ou privadas.
A vacina disponível na SMS Caicó protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no país: A/H1N1; A/H3N2 e influenza B. Os grupos prioritários devem se vacinar todos os anos, já que a imunidade contra os vírus cai progressivamente. Além disso, o vírus da gripe passa por mutações frequentes.
Fonte:http://www.caico.rn.gov.br

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Pesquisa da UFRN comprova incidência de câncer pela ingestão de água em município potiguar

pesquisadora Viviane Amaral alerta para a incidência de câncer em Lajes Pintada/RN
De acordo com a pesquisadora Viviane Amaral, do Departamento de Genética da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), estudos realizados nos principais reservatórios da região semiárida do Rio Grande do Norte revelaram sérios problemas de qualidade de água, incluindo a contaminação por metais.

A pesquisa foi direcionada para o município Lajes Pintadas/RN por ser o município com maior incidência de casos de câncer por ingestão inadequada de água, segundo a OMS.

Hepatite C é tema de palestra em Congresso


A atualização do PCDT para hepatite C e coinfecções proporciona maior acesso ao tratamento e inclui novas opções terapêuticas. O vídeo-documentário apresenta relatos de pacientes curados da hepatite C a partir do uso dos novos medicamentos.
A hepatite C foi tema de palestra da Diretora do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV) no Congresso de HIV e Hepatites nas Américas, no início desse mês. O encontro reuniu médicos, pesquisadores e especialistas de vários países do continente americano. Adele Benzaken, apresentou o panorama da hepatite C no Brasil, com destaque para a ampliação do acesso ao tratamento, as prioridades das políticas públicas de saúde e a superação de barreiras para o controle desse agravo. Salientou que o novo Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Hepatite C e Coinfecções foi avaliado pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (SUS) .

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Mais de onze milhões de brasileiros têm depressão

A doença representa quase um quarto dos atendimentos ambulatoriais e hospitalares em saúde mental no SUS.
Uma tristeza profunda que faz o corpo doer com os efeitos de uma doença que é invisível e dificulta ações cotidianas simples como levantar da cama, comer, trabalhar ou estudar. Essa é a depressão, que já é conhecida como o mal do século por ter estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), de que até 2020 será a doença mais incapacitante do mundo.
Por isso, a depressão foi o tema eleito pela OMS para o Dia Mundial da Saúde, comemorado neste dia 07 de abril. A proposta é chamar atenção para a doença e incitar os debates a esse respeito.

terça-feira, 11 de abril de 2017

CONSELHOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO SERIDÓ PARTICIPARAM DA 8ª PLENÁRIA REGIONAL DE SAÚDE NESTA SEXTA-FEIRA (07) EM CAICÓ.

Foi realizado nesta sexta-feira (07/04), no auditório da IV URSAP a 8ª Plenária Regional de Conselhos municipais de Saúde da 4ª Região de Saúde na Cidade de Caicó/RN, no intuito de oportunizar um momento coletivo das situações, funcionamento e organização dos conselhos municipais da região do Seridó, também foi trabalhado a mobilização e as questões referentes as Conferencias de Saúde da mulher e da vigilância em saúde e ao final foi feita a eleição da coordenação regional de plenária da região do seridó.

Participaram da 8ª Plenária Regional (14) municípios da região do seridó que foram: Acari, Bobo, Caicó, Carnaúba dos Dantas, Cerro Cora, Cruzeta, Currais Novos, Florânia, Jardim de Piranhas, Jucurutu, Parelhas, São Fernando, São Vicente e Timbaúba dos Batistas,
onde vários municípios mostraram algumas dificuldades que os conselhos estão vivendo.

O coordenador estadual de plenária de conselhos de saúde Francisco Canindé dos Santos, fez uma grande explanação sobre os conselhos municipais, vocês conselheiros tem que estarem sempre cobrando dos seus gestores municipais secretários de saúde e prefeitos o plano municipal de saúde entre outras atribuições que são de responsabilidades dos conselhos deliberarem, como os relatórios de gestão, o conselho municipal de saúde tem um papel muito importante na gestão da saúde, seja um conselheiro ativo com a saúde do seu município disse Canindé.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

A melhor opção é escolher não exagerar no sal


São tantas as opções atualmente e tantas informações sobre benefícios e malefícios do sal que fica até difícil saber o que levar para casa. Tem gente que usa o sal rosa do Himalaia. Há ainda quem diga que prefere o sal light e sal rosa juntos, afirmando que o light tem menor teor de sódio e o rosa, mais minerais.
Para a costureira Kaline Burlamaque, de 32 anos, o sal refinado é a melhor opção já que, segundo ela, cabe no orçamento da família. Já a nutricionista Leiliane Xavier, de 32 anos, usa a mesma opção de compra, mas escolheu uma alternativa para deixar as preparações em casa mais saborosas e saudáveis. “Eu uso sal de ervas caseiro! Mais saudável já que reduz o teor de cloreto de sódio para temperar e dar sabor aos alimentos”,  defende.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

SUS oferece linha de cuidado à pessoa com Transtorno do Espectro do Autismo

Quando o filho tinha dois anos, a aposentada Marisa Furia Silva observou mudanças em seu comportamento. “Ele parou de falar o que já falava e começou a dar cabeçadas no chão e na parede. Fui numa psicóloga e ela deu o diagnóstico. Eu nem sabia o que era autismo. Dois neurologista confirmaram o diagnóstico depois”, conta Marisa. Renato hoje tem 38 anos.
A aposentada descobriu o autismo do filho em 1980. Naquela época, as pessoas não tinham a facilidade de acesso a informação que existe hoje. Pela falta de conhecimento diante da realidade, surgiu a ideia de unir famílias de pessoas com autismo para dar apoio e suporte. Marisa, que é uma das fundadoras da Associação de Amigos do Autista (AMA), juntamente com outros pais decidiram se reunir para construir uma proposta de futuro que amparasse seus filhos, e proporcionasse a eles maior independência, autonomia e inclusão social.