domingo, 10 de setembro de 2017

SETEMBRO AMARELO, VALORIZE A VIDA

SETEMBRO AMARELO, Campanha Nacional de Prevenção aoSuicídio: criado para mostrar a REALIDADE SOBRE O SUICÍDIO- para mais de 90% dos casos existe prevenção!

O SUICÍDIO É CONSIDERADO UM PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA, E UM BRASILEIRO MORREM DESTE MAL A CADA 45 MINUTOS, no mundo a cada 40 segundos uma pessoa morre vitima de suicídio.

Só quem conhece a dor de perder alguém desta forma entende a importância desta campanha! A reflexão, o diálogo e a informação sobre o assunto tornam-se imprescindíveis, em vista do grande número de mortes em todo o mundo.

Lutar contra esse tabu salvará muitas vidas - Pela valorização da vida, VAMOS TODOS "ABRAÇAR" ESTA CAMPANHA!

VOCÊ SABIA QUE:

A maioria das pessoas com idéias de morte comunica seus pensamentos e intenções suicidas. Elas, freqüentemente, dão sinais e fazem comentários sobre.

FRASES DE ALERTA
“Eu preferia estar morto”.
“Eu não posso fazer nada”.
“Eu não agüento mais”.
“Eu sou um perdedor e um peso pros outros”.
“Os outros vão ser mais felizes sem mim”.

Se você suspeita que alguém próximo à você pensa em cometer suicídio, tente se aproximar e:

• Pergunte se o pensamento existe e em que nível;
• Se já houve planejamento e como;
• Procure ouví-lo atentamente;
• Tente compreender os sentimentos dessa pessoa;
• Expressar respeito pelas opiniões e pelos valores dela;
• Converse abertamente;
• Demonstre sua preocupação, seu cuidado e sua afeição para com ela;
• Procure conversa com a família, amigos ou rede de apoio dessa pessoa;
• Caso a pessoa tenha acesso a métodos suicidas, como armas e remédios, remova-os imediatamente.
• Oriente e ajude a buscar ajuda na rede de saúde mental de sua comunidade e/ou outros equipamentos e órgãos; CAPS,Posto de saúde, Clínica-escolar, CVV, ONGs e etc.

O movimento Setembro Amarelo é estimulado mundialmente pela Associação Internacional pela Prevenção do Suicídio (IASP) e consiste em iluminar ou sinalizar locais públicos com faixas ou símbolos amarelos
ESTA CAMPANHA que pode acontecer, também, através do compartilhamento da hastag:  #acreditonavida  no status do face, ou no status do whats, de posts sobre o assunto na linha do tempo, da configuração de foto de capa com imagem alusiva à campanha, com o uso do laço amarelo, com enfeite das casas, instituições e comércios com adornos na cor amarela.


Psicóloga Joselaine Garcia



terça-feira, 29 de agosto de 2017

Lésbicas reivindicam atendimento humanizado e livre de discriminação

Na hora de ser acolhida para consultas ou exames, a orientação sexual não pode comprometer o atendimento humanizado, qualificado e integral preconizado pelo SUS. As mulheres, sejam hétero, homossexual ou bissexual, precisam e devem ser bem acolhidas pelos serviços de saúde. Independentemente de ter relações sexuais com homens, com pessoas do mesmo sexo ou com ambos, toda mulher deve ser atendida em suas necessidades, livre de preconceito e discriminação.
 O atendimento humanizado, que leve em consideração esta especificidade, sem manifestações de lesbofobia e biofobia, é o cenário ideal para estas mulheres. E esse é o esforço da professora Andrea Rufino. Ginecologista, psicoterapeuta e professora da Universidade Estadual do Piauí, ela pesquisa o atendimento às mulheres lésbicas e bissexuais e já ouviu experiências de todos os cantos do país.
Em entrevista ao Blog da Saúde, a ginecologista explica o quanto é importante os profissionais, tanto do SUS quanto da rede privada, considerarem que as mulheres não necessariamente fazem sexo apenas com homens.
Blog da Saúde - Que tipo de queixas as lésbicas relatam sobre o acolhimento nos serviços de saúde?
Andrea Rufino - Eu ouvi muitas mulheres em todo o Brasil e a queixa mais importante é que o acolhimento é distante, frio. No encontro com o profissional de saúde, não há espaço para que ela fale espontaneamente da orientação sexual dela ou da prática sexual com mulher. Em geral, ela fica tensa para divulgar a orientação sexual.
A segunda queixa é que, no meio desse acolhimento, a maioria dos profissionais não pergunta sobre práticas sexuais. Além do clima não ser favorável para que ela diga, ela também não é perguntada. E aí, nesse sentido, essa consulta começa com hesitação, com dificuldade, com pensamento se ela fala ou se ela não fala.
Há também relatos de um receio do exame ginecológico, do exame dos genitais. Há receio do uso do espéculo vaginal, algumas mulheres reclamam que os aparelhos são inadequados ou então o profissional anuncia que ela não precisa do exame de colpocitologia oncótica. Então, ela fica se sentindo desassistida.
Blog da Saúde - Qual é a melhor forma de atender essas usuárias e fazer com que elas se sintam acolhidas nas consultas e exames?
Andrea Rufino: Apenas por ter uma prática sexual não hétero, a mulher não se torna diferente no quesito de pessoa humana que precisa ser acolhida. O que é importante é que o profissional lembre que nem toda mulher que ele atende é heterossexual. A dificuldade inicial começa quando a gente olha para uma formação dos profissionais da área da saúde de uma maneira geral muito heteronormativa assumindo que todas as mulheres são heterossexuais.
Todo o ensino profissional é baseado na ideia de que as mulheres têm prática sexual só com homem. É um roteiro de perguntas voltadas para a mulher heterossexual. A mulher que faz sexo com mulher se sente surpreendida e muitas vezes não sabe bem aonde colocar a informação. Você precisar dar sinais para que aquela mulher possa se sentir mais à vontade para assumir uma identidade sexual. Você faz toda uma aproximação mais capaz de assistir aquela mulher nas necessidades e nas especificidades que ela necessita.
Blog da Saúde - Por que é importante que uma mulher que não tem relações sexuais com homens faça todos os exames como qualquer outra?
Andrea Rufino: As mulheres de maneira geral podem ter alguns tipos de câncer que podem acometer qualquer uma. Mulheres que não engravidaram e que passam muito tempo menstruando estão suscetíveis a isso e, neste contexto, há lésbicas vulneráveis. E, outras questões relacionadas aos hábitos de vida, que são comuns entre as lésbicas e bissexuais, como o tabagismo e o sedentarismo, que influenciam o risco de cânceres.
A prática sexual pode nos fazer ter contato com agentes e não é preciso ser penetrada para adquirir, por exemplo, herpes, sífilis, hepatite B e HPV. Doenças cuja a transmissão ocorre pelo contato e não pela penetração. Existe comprovação de que, mesmo sexo exclusivo entre mulheres, pode transmitir o HIV. O risco é pequeno, mas existe. Então, sexo entre mulheres também favorece infecções genitais não consideradas DSTs. Isso nos faz observar que as lésbicas precisam ser examinadas de maneira adequada, para que elas possam receber uma atenção de qualidade como todas nós merecemos.
Blog da Saúde - De que forma as lésbicas e bissexuais podem fazer com que seus direitos por serviços de saúde humanizados sejam cumpridos?
Andrea Rufino: É muito importante que as mulheres lésbicas e bissexuais consigam expor e divulgar a sua prática, a sua identidade sexual ou sua orientação sexual para o profissional de saúde, principalmente, em situações em que ela acredita que precisa dar essa informação para ser mais bem assistida. Informar o profissional vai ajudá-lo a fazer as escolhas necessárias.
A mulher deve estar empoderada para, mesmo diante de um ambiente desfavorável, fazer valer os seus direitos. Quanto mais bem informadas a respeito dos seus direitos, da sua saúde, se ela encontra um profissional que não atende às necessidades, deve fazer essa reclamação, esse registro, procurar o posto de saúde.
Informação e ação
Para a Andrea Rufino, com o passar dos anos, o Sistema Único de Saúde (SUS) e a rede privada têm evoluído. Contudo, para conquistar um atendimento ainda mais humanizado, as lésbicas e bissexuais precisam se munir de informação para cobrar os profissionais durante consultas e exames e não deixar de apresentar queixas quando notarem discriminação e desrespeito.
Os registros podem ser feitos nas ouvidorias das unidades de saúde, seja na rede pública ou particular, e nos Conselhos Regionais de Medicina e Enfermagem. As denúncias podem ser anônimas.
A fisioterapeuta Karen Borges espera ter um dia um atendimento humanizado, que leve em consideração as particularidades de sua orientação sexual. “Eu acho que o ideal seria um atendimento digamos aberto, que permitisse a possibilidade para as mulheres se expressarem. Outro fator seria os profissionais de saúde saberem orientar sobre prevenção, que vai além das práticas heterossexuais. Isso seria importante também para a saúde psicológica das mulheres dentro do atendimento”.
Política Nacional de Saúde LGBT
As ações de prevenção e promoção da população de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais é preconizada pela Política Nacional de Saúde Integral LGBT, criada pelo Ministério da Saúde em 2011. Desde então o Ministério vem investindo na educação permanente dos profissionais a fim de garantir a qualidade no atendimento e respeito à peculiaridade deste público é um dos objetivos do SUS.
Para os profissionais que se interessam em saber mais sobre o assunto, a especialista Andrea Rufino assina um artigo disponível aqui.
Por Erika Braz, para Blog da Saúde 
Fonte: Blog da Saúde

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

SGEP lança vídeo para a 2ª Conferência Nacional de Saúde das Mulheres

O Departamento de Apoio à Gestão Participativa e ao Controle Social da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde (DAGEP/SGEP/MS) lança o vídeo de mobilização para a 2ª Conferência Nacional de Saúde das Mulheres e para a 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde. As duas conferências foram deliberadas em 2016 pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS) para realização nesse segundo semestre de 2017.
A primeira é a 2ª Conferência Nacional de Saúde das Mulheres (2ª CNSMu), com o tema Saúde das Mulheres: desafios para a integralidade com equidade que acontecerá entre os dias 17 a 20 de agosto. Seguida da 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde (1ª CNVS) que será realizada entre os dias 21 a 24 de novembro. Brasília/DF vai sediar os dois eventos.

Tendo como premissa o diálogo com os movimentos sociais para construção dessas políticas de equidade e de educação popular em saúde, o DAGEP contribui para a mobilização das conferências realizando atividades preparatórias para as mesmas, como o Seminário Nacional Saúde das mulheres e Gestão Participativa: Desafios para a integralidade com equidade, realizado nos dias 18 e 19 de julho e a II Conferência Livre: Trabalhadoras do Ministério da Saúde, realizada no dia 24 de julho. De acordo com a Secretária de Gestão Estratégia e Participativa, Gerlane Baccarin para efetivação das políticas de equidade é fundamental “ para construção de um sistema de saúde eficiente, compreendermos as diversidades bem como as diferentes condições de vida e suas trajetórias”.

2ª CNSMu – A 2ª CNSMu é resultado da construção histórica em saúde dos diversos setores da sociedade somando os esforços no âmbito do Ministério da Saúde – das Coordenações de Saúde das Mulheres, do Departamento de Apoio à Gestão Participativa e da Secretaria de Vigilância em Saúde, juntamente com o Conselho Nacional de Saúde, órgão vinculado ao Ministério da Saúde.

O eixo principal da 2ª CNSMu será a implementação da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Mulheres, contemplando a também as políticas de equidade: da população Negra (racismo, desigualdades étnico-raciais e racismo institucional), da População LGBT (discriminação por orientação sexual e identidade de gênero e estigma social), da População em Situação de Rua (reconhecimento dessas pessoas como cidadãos de direitos), da População do Campo, da Floresta e das Águas (redução de riscos decorrentes dos processos de trabalho e das tecnologias agrícolas).

1ª CNVS – A 1ª CNVS tem como objetivo dialogar sobre o Direito à Promoção e Proteção da Saúde compreendendo a Vigilância em Saúde como estratégia para o cumprimento da Promoção e da Proteção como dos pilares do direito à saúde. Além disso entender o território como espaço fundamental para a implementação da política e das práticas da Vigilância em Saúde. Outro ponto fundamental é compreender o Controle Social e Democracia Participativa como parte para formulação de uma política nacional de vigilância em saúde.

O objetivo principal da Conferência Nacional de Vigilância em Saúde é “Propor diretrizes para a formulação da Política Nacional de Vigilância em Saúde e o fortalecimento de ações de Promoção e Proteção à saúde”. O tema central da Conferência é a Vigilância em Saúde: Direito, Conquistas e Defesa de um SUS Público de Qualidade. “A mobilização dos movimentos sociais e das entidades é super importante para que tenhamos êxito na Conferência de Vigilância em Saúde. A Vigilância em saúde pode ser dar em vários níveis: no nível acadêmico, no nível das secretarias municipais e pode ser dar com a própria comunidade que observa situações” explicou Marcia Turcato, coordenadora do Núcleo de Comunicação da SVS.

INFORMAÇÕES – Para mais informações sobre a 2ª CNSMu você pode acessar o documento orientador no link: http://bit.ly/2hOG8SK e para mais informações sobre a 1ª CNVS acesse: www.cnvs.org.br.


Fonte: SGEP/MS

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Conselho Municipal de Caicó tem Nova Diretoria

Reunidos neste dia , 10 de agosto de 2017, o Conselho Municipal de Saúde da cidade Caicó, realizou eleições de sua Diretoria para biênio 2017/2019. A eleição aconteceu das 8:00h às 11:00, no Auditório da Casa da Cidadania, situada na rua Felipe Guerra, 379 - Centro, Caicó - RN. A reunião foi presidida pela Comissão Eleitoral, tendo como seu presidente, o Conselheiro Divino Félix, que também é o Atual Presidente do Conselho.
Para eleição foi registrada apenas uma chapa, sendo assim chapa única, composta dos seguintes nomes:
  •   Presidente –  Júlio César Souza do Amaral
  •  Vice-Presidente –  Raquel Valentim da Silva
  • 1º Secretário – Aguislene Bezerra de Medeiros Dantas
  •  2º Secretário –  Jailma Oliveira da Nóbrega
  •  Tesoureiro – Alysson Emerson Fernandes
Dos 16 (dezesseis) conselheiros aptos a votar, compareceram e votaram 16 (dezesseis), sendo 15 votos a favor da chapa única e 01 em voto em branco. A posse da nova diretoria ficou marcada pela comissão Eleitoral para o dia 16 de agosto de 2016, em solenidade que irá acontecer no Auditório da Casa da Cidadania, no mesmo lugar onde ocorreu a eleição, às 19:00h. 


Posse da Nova Diretoria do Conselho Municipal de Saúde de Caicó

Em solenidade realizada no dia 16 de agosto de 2017, no Auditório da Casa da Cidadania, às 19:00, tomou posse a nova diretoria do CMS de caicó para o biênio 2017/2019. A solenidade foi presidida pelo presidente da Comissão Eleitoral, o Pr. Divino Félix. Estiveram presentes quase todos os conselheiros e algumas entidades convidadas. Nas falas o presidente que estava deixando o cargo , agradeceu o apoio recebido e fez um balanço de sua gestão a frente do Conselho, destacando o esforço que foi feito para manter os conselheiros articulados. Falou dos desafios encontrados e desejou boa sorte para o novo presidente, o Senhor Júlio César Souza do Amaral, comprometendo-se a ajudá-lo diante das dificuldades vivida pela Saúde da cidade.
O Novo Presidente fez um relato do contexto Nacional, estadual e municipal enfrentado pela Saúde e convocou todos a estarem alertas às mudanças que sinalizam acontecer. A gradeceu a confiança recebida pelo pleno do Conselho por tê-lo escolhido para a presidência e  convidou todos a se empenhar nessa luta.
Falou ainda o Companheiro José Procópio, ex-conselheiro e ex-presidente do conselho, a companheira Lucia de Fátima, representante do Conselho da Mulher e o Pr. Anderson representante das Igrejas Evangélicas e outros companheiros conselheiros.
Por fim, o Presidente da Comissão eleitoral empossou a nova Diretoria, assim formada:
  • Presidente –  Júlio César Souza do Amaral
  •  Vice-Presidente –  Raquel Valentim da Silva
  • 1º Secretário – Aguislene Bezerra de Medeiros Dantas
  •  2º Secretário –  Jailma Oliveira da Nóbrega
  •  Tesoureiro – Alysson Emerson Fernandes

       No final, foi oferecido a todos os presentes um coffee break.







quinta-feira, 20 de julho de 2017

CNS LANÇARÁ ABAIXO-ASSINADO EM DEFESA DO SUS

O presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Ronald dos Santos, anunciou um abaixo-assinado contra os retrocessos na área da Saúde por conta da Emenda Constitucional 95. O documento deve ser enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), em 2018. A convocatória para a coleta de assinaturas foi feita durante o 28º Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, que acontece até amanhã (15/07), em Brasília.
O congresso de secretarias reúne gestores de saúde municipais e estaduais de todo o país, em Brasília, para discutir os rumos da Saúde no Brasil pelos próximos quatro anos. Por esse motivo, Ronald anunciou o abaixo-assinado contra a inconstitucionalidade da EC 95, no que tange ao congelamento de investimentos para a Saúde e para a Educação por 20 anos. “Precisamos que o SUS não pereça, não definhe, porque estamos vivendo uma brutal ameaça”, disse o presidente do CNS.
Desde a aprovação da Emenda Constitucional 95, proposta pelo atual governo, o CNS tem se mobilizado contra os retrocessos que ferem a Constituição Federal de 1988. Estima-se que, com o congelamento de investimentos proposto pelo governo, haverá uma redução de 400 bilhões no orçamento.
As medidas prejudicam a política pública mais importante conquistada pelos brasileiros: o Sistema Único de Saúde (SUS). “Vivemos uma das mais severas crises, política e econômica, que exige unidade do povo brasileiro. Não é compatível com o SUS o processo de diminuição gradual que está implícito na Emenda Constitucional 95”, criticou.
Nos próximos dias, o CNS divulgará o abaixo-assinado em defesa da principal política pública desenvolvida no país, considerada referência em política de saúde no mundo. O documento, que estima colher cerca de 3 milhões de assinaturas, será encaminhado ao STF, em abril de 2018. “Nosso SUS é referência para o mundo. Por ele vale a pena lutar e nos mobilizar”, finalizou.
Danilo Castro
Ascom – CNS
Fonte: #suscoecta

Carta Aberta do Ministro da Saúde aos Profissionais de Saúde e à População

Em carta aberta aos profissionais de saúde e à população, ministro da Saúde aponta que consultas na Atenção Básica estão abaixo do esperado, 43,8% do que deveria ser feito
O SUS se faz com o trabalho de todos e é por essa razão que venho aqui propor um diálogo franco com os profissionais de saúde e a população. 
Na semana passada, ao anunciar mais R$ 1,7 bilhão para ampliar o atendimento nos postos de saúde de todo o país, na presença de mais de 300 secretários de saúde, propus pagar melhor os médicos e exigir o cumprimento do horário de trabalho contratado.

A expressão que utilizei, “vamos parar de fingir que pagamos o médico e o médico fingir que trabalha”, foi retirada do seu contexto. Na sequência, reforcei com outras palavras: “nós vamos pagar um salário justo para o médico e exigir que eles estejam à disposição da população”. Também valorizei o trabalho dos profissionais dedicados, aqueles que “carregam o piano”, com vocação para o serviço público.

terça-feira, 18 de julho de 2017

Eleições do Conselho Municipal de Saúde de Caicó para o biênio 2017/2019


SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE
CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE
Comissão Eleitoral Biênio 2017/2019
CAICÓ/RN

                                              EDITAL DE CONVOCAÇÃO


Pelo presente Edital de Convocação fazemos saber que no dia 10 de agosto de 2017, no período das 8:00h:  às 11:00h, no auditório do Conselho Municipal de Saúde, sito a Rua Felipe Guerra, 379, Centro, Caicó/RN, no prédio da antiga prefeitura, será realizada a eleição para composição da Mesa Diretora do Conselho Municipal de Saúde de Caicó para o Biênio 2017/2019.
As inscrições das chapas ou pessoas interessadas em participar do processo eleitoral deverão ser registradas no período de 31 de julho a 04 de agosto de 2017, no horário das 08h às 11h30minutos, na sede do Conselho Municipal de Saúde. A solicitação de registro de inscrição deve ser feita através de requerimento à Comissão Eleitoral indicando nome e cargo a que pretende concorrer. Poderão se candidatar apenas os membros titulares de conformidade com o Regimento interno.
No dia da eleição poderão votar os titulares do conselho ou na sua ausência os suplentes.
Após o encerramento da votação e homologado o resultado final será divulgado na imprensa local e fixado na sede do Conselho, Prefeitura e Secretaria Municipal de Saúde a relação dos membros eleitos.



                   Caicó, 17 de Julho de 2017.



Divino Félix 

Radilma Alves de Morais  

Sebastião Paulino de Souza 

José Alves Filho 

Lucineide de Araújo da Silva




domingo, 9 de julho de 2017

CNS REPROVA O RELATÓRIO ANUAL DE GESTÃO 2016 DO MINISTÉRIO DA SAÚDE

Pela primeira vez na história, o Conselho Nacional de Saúde (CNS) reprovou o Relatório Anual de Gestão (RAG) 2016 do Ministério da Saúde (MS). A decisão foi tomada durante a 295ª Reunião Ordinária do Colegiado, na tarde desta quinta-feira (06), e seguiu o parecer a Comissão de Orçamento e Financiamento (Cofin) do CNS. Foram 29 votos contrários e oito favoráveis.
De acordo com o presidente do CNS, Ronald Santos, o colegiado exerceu o seu papel constitucional, que também está amparado nas leis 8.142/1990 e a Lei Complementar 141/2012. Esses dispositivos legais definem, entre outras questões,  a competência do CNS em analisar e emitir parecer conclusivo das contas e os valores mínimos a serem aplicados anualmente pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios em ações e serviços públicos de saúde.
“Recebemos o RAG 2016 no início deste ano e desde então tivemos vários debates na Cofin e no Pleno que subsidiaram a decisão que os conselheiros tomaram hoje. O processo que o CNS vem acumulando nas discussões sobre o RAG 2016 expressa a autoridade dada ao controle social descrita na Carta Magna. O Pleno tem a responsabilidade de se posicionar para que se cumpra a Lei e a Constituição Federal”, afirmou.
O parecer técnico da Cofin recomendou a não aprovação do RAG 2016 porque o Ministério da Saúde não cumpriu a aplicação mínima constitucional de 15% das receitas correntes líquidas em ações e serviços públicos da saúde; não compensou integralmente, por meio de aplicações adicionais, os restos a pagar cancelados em 2015; e foi reincidente nos baixos níveis de execução orçamentária e financeira em 19 itens de despesas.

Por Mariana Moura

Assessoria CNS

Fonte: #susconecta

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Conselho de Saúde de Caicó Faz Recomposição dos seus Conselheiros

Em Reunião Extraordinária  realizada no dia 27 de junho de 2017, o Conselho Municipal de Saúde de Caicó-RN, depois de convocação às instituições previstas pela legislação que rege a Composição dos Conselhos de Saúde, aconteceu a recomposição dos Conselheiros titulares e suplentes  para o Biênio 2017/2019. Atendendo à convocação, as instituições compareçam através dos seus representantes indicados e foi formado a nova composição do Conselho Municipal de Saúde de Caicó. Abaixo está os nomes dos novos Componentes:

RELAÇÃO DOS CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE SAÚDE DE CAICÓ RN.

REPRESENTANTES DO GOVERNO

SECRETARIA DE SAÚDE
TITULAR: Sandra Núbia Pereira Brilhante
SUPLENTE: Radilma Alves de Morais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA, E ESPORTE. E SECRETARIA MUNICIPAL DO TRABALHO,HABITAÇÃO E ASSISTÊNCIA SOCIAL.
TITULAR: Lucineide de Araújo Silva
SUPLENTE: Jarine Cristina Ferreira de Oliveira

REPRESENTANTES DOS USUÁRIOS


ADEFIC
TITULAR: Antonio de Souza Filho
SUPLENTE: Nereu Ferreira da Mota

APAE
TITULAR: Maria da Conceição Alves Batista de Souza
SUPLENTE: Luana Araújo da Costa Silva

IGREJA CATÓLICA - DIOCESE DE CAICÓ
TITULAR; Jailma Oliveira da Nóbrega
SUPLENTE; José Carlos Martins da Silva

ASSOCIAÇÃO DE MINISTROS EVANGÉLICOS DO SERIDÓ – AMES
TITULAR: Divino Felix
SUPLENTE; Andreson Braz de Oliveira

ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA E CULTURAL DOS HOMENS PRETOS DE CAICÓ-RN/
TITULAR: Pedro Pereira Cavalcante
SUPLENTE: Aline Cristina Silva

SINTE/RN – SINDICATOS DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO PÚBLICA DO RN
TITULAR: Elinete Medeiros Costa
SUPLENTE: Inalvete Medeiros Lucena

SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS AGRICULTORES E AGRICULTORAS FAMILIARES DE CAICÓ – STTR
TITULAR: Cristino Jerônimo da Silva
SUPLENTE; Jucelino José de Araújo

CMDS; CONSELHO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E SOLIDÁRIO
TITULAR: Aguislene Bezerra de Medeiros Dantas
SUPLENTE: Maria Edna Meneses dos Santos

REPRESENTANTE DOS TRABALHADORES DE SAÚDE

SINDSAÚDE
TITULAR: Raquel Valentim da Silva
SUPLENTE: Erivanaldo de Souza

COREN
TITULAR: Julio Cesar Souza do Amaral
SUPLENTE: Fabiana Mércia da Silva                                                                                   

CRO
TITULAR: Suzanne Delfino Freire
SUPLENTE: Rafael Bezerra Ribeiro

SINDICATO DO SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS
TITULAR: José Alves Filho
SUPLENTE: Maria do Socorro Pereira


REPRESENTANTES DOS PRESTADORES DE SERVIÇO DE SAÚDE

HOSPITAL REGIONAL DO SERIDÓ
TITULAR: Ivaldo Dias de Medeiros
SUPLENTE: Maria José de Araújo Silva

LIGA NORTE RIOGRANDENSE CONTRA O CÃNCER, CAICÓ-RN/HEMOCENTRO
TITULAR:    Alysson Emerson Fernandes
SUPLENTE: Sebastião Paulino de Souza

Portaria de Nomeação dos Novos Conselheiros de Saúde (PORTARIA N° 553 / 2017)

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Redução da transmissão materno-infantil de HIV e sífilis desacelera, alerta OPAS

Um novo relatório da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) mostra que os progressos na eliminação da transmissão vertical do HIV e sífilis na América Latina e no Caribe diminuíram. De acordo com dados do relatório Elimination of Mother-to-Child Transmission of HIV and Syphilis in the Americas: Update 2016 (disponível em inglês), um total de 2,1 mil crianças adquiriram HIV em 2015, a maioria pela transmissão materno-infantil, 55% menos que em 2010.
No entanto, o ritmo de redução desacelerou nos últimos anos. Entre 2010 e 2011, novos casos caíram em 800 crianças; entre 2014 e 2015, a queda foi de apenas 100.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Relação entre Zika vírus e Guillain-Barré insere HUOL em pesquisa global

Dr. Mário Emílio Dourado foi primeiro especialista a alertar relação entre as duas doenças.
Relação entre Zika Vírus e Guillain -Barré
insere HUOL em pesquisa Global

Nos próximos quatro anos, o Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), vai integrar um estudo mundial de resultados da síndrome de Guillain-Barré, com foco na relação da doença com o Zika vírus. O neurologista Mário Emílio Dourado será uma das referências no pool de pesquisadores coordenados pelo Centro Médico Universitário Erasmus, da cidade de Roterdã, na Holanda.
A instituição é uma das maiores da Europa e a segunda maior de seu país. Na última quinta-feira, 4, o complexo holandês envoiu a pesquisadora Sonja Leonhard, para alinhar as ações do projeto no Brasil. Na ocasião, a estudiosa de doenças neuro-infecciosas apresentou detalhes do estudo ao serviço de neurologia do HUOL.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Saúde com qualidade: brasileiros relatam melhorias no SUS

A sala de espera para os serviços de oncologia do Hospital das Obras da Irmã Dulce, em Salvador, é quase sempre cheia. Apesar disso não se ouvem reclamações. Os pacientes e os acompanhantes têm hora marcada para serem atendidos e, lá dentro, no ambulatório e nas salas de quimio e radioterapia, tudo funciona bem, com equipamentos novos e equipes motivadas. A dona Clarice Conceição, por exemplo, está tratando uma compressão da medula. Ela está otimista com o tratamento.  “Eu já estou sentindo uma melhora. Eu estava com as pernas muito presas e tô sentindo bem agora”. O depoimento dela foi dado pouco depois de uma sessão de radioterapia, etapa importantíssima contra o câncer, e que, há pouco mais de um ano, não era feita naquele hospital.

Nota de Esclarecimento

A Secretaria Municipal de Saúde de Caicó desconhece qualquer situação que envolva munícipe ou qualquer paciente da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), que vive em situação de cárcere privado, conforme foi noticiado nos meios de comunicação na data do dia 22 de maio de 2017.
As equipes da Estratégia de Saúde da Família (ESF) e Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), ligadas à Secretaria de Saúde, são responsáveis por identificar estas demandas e encaminhá-las ao serviço responsável ou realizar a intervenção necessária.
Solicitamos por oportuno que, caso qualquer cidadão tenha conhecimento de situações de vulnerabilidade ou violência, que denuncie aos órgãos responsáveis como os serviços de saúde, assistência social, polícia e até mesmo o ministério público.
Contatos:
CAPS III
Rua Marinheiro Manoel Inácio, s/n, Centro
Fone: 84 3421 3013
CAPS ad
Rua José Paulo Filgueira, 30A, Centro
Fone: 84 3421 3835
Secretária Municipal de Saúde
Fone: 84 3417 3630
Stephane Aparecida Fernandes
Coordenadora das Ações Integradas em Saúde
Fonte: caico.rn.gov.br

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Produção em hortas domésticas é alternativa contra a má alimentação

O Ministério da Saúde alerta que os brasileiros têm sofrido com doenças crônicas – que são aquelas adquiridas muitas vezes por maus hábitos. Muitas dessas complicações, como hipertensão, doenças do coração e alguns tipos de câncer são decorrentes dá má alimentação. Essas patologias, que antes eram mais comuns em pessoas idosas, agora acometem também os jovens e até as crianças. O Brasil está obeso - 23% da população - porque os brasileiros têm trocado a alimentação com base em alimentos in natura por comida processada, industrial. A Pesquisa Nacional de Saúde, realizada em 2013, mostra que esse hábito tem começado cedo. Ao todo, 60,8% das crianças menores de dois anos comem bolachas recheadas com frequência. No Guia Alimentar para a População Brasileira, publicado pelo Ministério da Saúde, a população encontra  diretrizes e orientações sobre a importância da nutrição: como e o que devemos consumir.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Combate ao Aedes pode ser mais eficiente durante o frio

O fato de o mosquito Aedes aegypti se proliferar com mais intensidade durante as estações mais quentes do ano faz com que boa parte das pessoas só se lembre de eliminar os criadouros nesses períodos. Entretanto, de acordo com o pesquisador da Fiocruz Minas Fabiano Duarte Carvalho, é quando caem as temperaturas que as medidas de controle podem ser mais eficazes, já que o ciclo reprodutivo do mosquito fica mais lento e, dessa forma, as ações voltadas para o combate terão um impacto maior.
 “Sabemos que há casos de dengue e outras arboviroses o ano inteiro, o que significa que o mosquito está presente em todos os meses. Entretanto, este é um período em que há menos mosquitos em circulação e, com isso, é muito mais fácil combater os focos neste momento. É preciso aproveitar a fase em que o Aedes está mais fraco”, afirma o pesquisador.

Secretaria de Saúde e Residência Multiprofissional fortalecem parceria

Acontece nos dias 12, 19 e 25 de maio um ciclo de implementação da educação permanente em saúde no município de Caicó. Este projeto está sendo organizado pela Residência Multiprofissional em Atenção Básica da Escola Multicampi de Ciências Médicas (EMCM/UFRN), em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde.
O projeto vai proporcionar às Unidades Básicas de Saúde (UBS), que foram convidadas através de grupamentos por região, a troca de experiências com a educação em saúde das Estratégias da Saúde da Família (ESF), convidados e residentes, com a ideia de multiplicar as ações existentes em outras localidades da cidade, como A Hora da Prosa, Calçada Amiga, Saúde do Trabalhador, Acompanhamento de Hipertensos e Diabéticos, entre outras ações.
De acordo com o cronograma do projeto, as primeiras Unidades Básicas de Saúde atendidas foram: UBS Vila do Príncipe, Recreio, Alto da Boa Vista, Samanaú, Nova Caicó e NASF.
Na sexta-feira (12), o evento aconteceu no salão nobre da antiga prefeitura, iniciado às 07h30 da manhã com apresentação da equipe e da proposta de educação permanente, seguida das apresentações das ações da residência e discussão em grupo. Finalizando as atividades no primeiro encontro, o grupo apresentou a segunda etapa da educação permanente e houve o debate de problemáticas das Unidades de Saúde.
Seguindo com o projeto, dia 19 de maio, as Unidades Básicas que terão a oportunidade de participar deste encontro serão: João Paulo II, Paulo VI, Barra Nova e Walfredo Gurgel e no dia 25, o projeto contempla o Centro Clínico, Itans, Nova Descoberta, Soledade e Centro.
Fonte: caico.rn.gov.br

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Gestante: proteja-se contra a influenza (gripe)

Durante a gestação, algumas alterações naturais no organismo podem favorecer a queda da imunidade da gestante. Com o corpo mais sensível, o cenário se torna favorável para a ocorrência de infecções é nesse momento, que o vírus da influenza pode achar lugar e as consequências podem ser graves, infelizmente. “ Há maior risco de evolução desfavorável, no caso da influenza  e com frequência,  a doença pode se apresentar na forma de insuficiência respiratória grave”, explica o presidente da Comissão Nacional de Vacinas da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) e médico,   Julio César Teixeira.  

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Pediatra da criança que morreu no Hospital do Seridó desabafa no Facebook

A médica pediatra, Dra. Jane Cristina, fez o seguinte desabafo em seu facebook:
Eu era a médica do bebê de 6 anos que morreu hoje. Nem sei se a mãe dele irá ver isso. Não tive coragem de ir ao velório. Nem gostaria de vê-la nesse momento porque não iria conseguir. Mas gostaria de pedir desculpas. Por não ter sido capaz de curar seu filho. Por não conseguir uma vaga pra ele em uma UTI pediátrica quando ele precisou.
Por ser somente uma pediatra do interior e não uma super-heroína como vemos na TV, onde o médico sabe fazer absolutamente tudo. Desculpa mesmo. Sei que isso não é suficiente e não consegui dizer isso pessoalmente a você porque eu iria chorar. E detesto chorar na frente das pessoas porque minhas lágrimas são só minhas. E ninguém tem nada a ver com isso.
E sei que o face não é lugar pra isso, mas não tenho com quem falar e gostaria de expressar em palavras o meu pesar. Sei que meu pesar jamais se comparará ao seu. Mas gostaria de expressá-lo para que talvez eu consiga me perdoar de não ter conseguido. E prosseguir tentando confiar que nada acontece nessa terra sem o conhecimento de Deus.
Só não queria ter sido o instrumento para acompanhar a realização da Sua vontade. Que o Senhor e nossos irmãos desencarnados deem forças a essa mãe e esse pai. Acho que não consigo mais lidar com crianças com doenças graves. Não tenho mais estrutura.
Fonte: Blog da Gláucia Lima

Criança de 6 anos morre no Hospital do Seridó por não conseguir vaga em UTI

Acaba de ir à óbito no Hospital do Seridó em Caicó um menino de 6 anos. Ele era portador da Síndrome de Down e deu entrada com o quadro de infecção respiratória há oito dias.
O quadro agravou, foi tentada uma transferência, mas não surgiu nenhuma vaga. Enquanto isso, os pais recorreram à Defensoria Pública para que o Estado viabilizasse o tratamento em um hospital particular, o que também não aconteceu.
Nesta manhã de quarta-feira, Rian Túlio de Medeiros, não resistiu e morreu.

Fonte: Blog da Gláucia Lima
   

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Método Canguru contribui para desenvolvimento de bebês prematuros


Buscar qualidade na atenção prestada à gestante, ao recém-nascido e à família, promovendo, a partir de uma abordagem humanizada e segura, o contato pele a pele entre a mãe/pai e o bebê é o objetivo do Método Canguru.  É usado, especialmente, quando o bebê prematuro e/ou de baixo peso necessita ser internado após o nascimento. Essa separação dos pais, necessária, não deve, entretanto, impedir proximidade e continuidade dos cuidados familiares.
O Método Canguru é uma tecnologia que promove a qualificação do cuidado do recém-nascido internado em Unidade Neonatal no Sistema Único de Saúde (SUS). O toque da família acolhe o bebê em meio a procedimentos na rotina, muitas vezes, intensa e delicada, de uma Unidade Neonatal e é fundamental, ao lado do suporte clínico, para sua sobrevivência. Traz um toque de amor e humanidade em um projeto de cuidado singular envolvendo pais, irmãos, avós e redes de apoio familiar e social.

Musicoterapia usa ritmo e melodia como alternativa para tratar doenças

Com a musicoterapia é possível melhorar a autoestima, coordenação motora, deficiências e também tratar doenças

Ajuda na interação com o mundo, pode ser para relaxar, aguçar os sentidos, movimentar o corpo, melhorar a coordenação motora e até mesmo para  ajudar na cura de doenças. Essas e outras possibilidades são trabalhadas na musicoterapia.  

O objetivo é utilizar a música – som, ritmo, melodia e harmonia – para auxiliar na comunicação, na aprendizagem, na expressão e atender necessidades físicas, emocionais, mentais, sociais e cognitivas do indivíduo ou do grupo. “A música é muito provocativa, muito convidativa para entrar no mundo da comunicação. Serve para o indivíduo começar a se expressar, sendo capaz de auxiliar na cura ou melhora de uma doença”, explica Clarisse Prestes,  musicoterapeuta e professora de musicalização da Universidade de Brasília-UNB.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

CERES Caicó promove mesa-redonda sobre depressão


O Centro de Ensino Superior do Seridó (CERES) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) promove nesta quinta-feira, (27), uma mesa-redonda para debater sobre depressão. Aberto à comunidade em geral, o evento acontece a partir das 17h, no auditório do campus de Caicó.
Participarão como palestrantes os professores Tiago Rocha Pinto e Lizie Emanuelle E. Brasileiro, da Escola Multicampi de Ciências Médicas (EMCM) da UFRN, além do professor Dulcian Medeiros de Azevedo, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).
Fonte: Blog Sidney Silva

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Secretaria de Saúde inicia vacinação contra a gripe em Caicó


A secretaria municipal de Saúde participa desde a segunda-feira (17) da campanha nacional de vacinação contra a gripe. A imunização vai até 26 de maio, sendo o dia de mobilização nacional em 13 de maio.
Este ano, a novidade da campanha é a inclusão dos professores da rede pública e privada no público alvo, com direito a receber a imunização gratuitamente no SUS. A contraindicação é para quem tem alergia severa a ovo.
O público alvo da campanha consta de crianças de 6 meses a menores que 5 anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias); Gestantes; Puérperas (mulheres que estão no período de até 45 dias após o parto); Idosos (a partir de 60 anos); Profissionais da saúde; Povos indígenas; Pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional; Portadores de doenças crônicas e outras doenças que comprometam a imunidade; Professores de escolas públicas ou privadas.
A vacina disponível na SMS Caicó protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no país: A/H1N1; A/H3N2 e influenza B. Os grupos prioritários devem se vacinar todos os anos, já que a imunidade contra os vírus cai progressivamente. Além disso, o vírus da gripe passa por mutações frequentes.
Fonte:http://www.caico.rn.gov.br